31.5.15

O mundo é Sujo

Eu não quero sujar as minhas mãos com esta conversa,
Estou perdendo o meu juízo e a minha direção,
O mundo é sujo e tem tanta coisa que não presta,
Eu cansei de tanta mágoa e tanta decepção.
Nós nos iludimos com sorrisos e com falsa modéstia,
Com poemas e com rimas que já foram escritos,
Persuadiram-me e agora eu sofro desta moléstia,
Acordo assustado controlando os meus gritos.
Eu desisto das pessoas e do que não posso entender,
Desisto das coisas que um dia já fizeram sentido,
Desisto das vezes que eu não pude me conter,
O mundo é sujo e hoje não estou contido.
E sim, eu desisto da vida e das minhas vontades,
Eu cansei de ser verdadeiro enquanto os outros não são.
E apesar de tentar expressar as minhas verdades,
Prefiro viver na mentira e na reclusão.
Eu queria acreditar que não existem interesses,
Que se prioriza a companhia e não o egoísmo,
Mas seremos apenas mais uns como esses,
Que vivem de aparências e cheios de cinismo.
O mundo é sujo e a minha rima é barata,
O mundo é sujo e ele ainda me mata,
Eu cansei de tentar me moldar para o mundo,
E eu não posso aceitar por mais nenhum segundo,
Esse sentimento metódico de nostalgia,
Esse sentimento ruim de alguém tão ameno,
O mundo é sujo pode ser uma filosofia,
De um cabelo escuro que é o meu veneno.

By: Ayke La’Reyl
Feito em 21 de Abril de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário