18.9.17

Um!

Quem quer dez não sabe o que quer.
Ou quer dez mesmo, sem ser certinho.
Eu quero um. Não quero o que vier.
Sei o que quero, quero um e sozinho.
Vestido como um solzinho,
Carregado de amor e carinho,
Feito peça para o meu dominó.

“Mas, amar não é encaixar peças!”

Ah, me deixa vai.
Me deixar amar no meu canto
Amar gritando, mas amar tanto...
Amar até cansar e explodir
Amar até não conseguir sentir
O coração dentro do peito.
E rezar, perdoar, ser o sofrimento
E chorar amando por dentro
Quero amar até a hora de virar estrela.
Amar no escuro, amar na besteira
De esbarrões, olhos e fetiches.

Não quero ser lembrado
Quero ser sentido.
Do que adianta ser celebrado
Sem ter amado e ter vivido
O amor dos oceanos?
Amar são os meus planos
Com seus desgostos e enganos
Ah, me deixa vai...
Um amor caracol, um amor dourado
Um amor espiritual intelectualizado,
Estou me amando, amor amado
Sem um velório e corpo velado.
Quero um e sozinho
Um e sozinho.
Um.
Um grande amor, por favor!

By: Vicenzo Vitchella
Feito em 14 de agosto de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário