8.3.17

Amor Cristão

Eu fui lavar a minha boca, por ter dito o seu nome.
Seu nome verdadeiro, que acendem as velas não terminadas.
Tentei desvendar os seus começos e os seus términos,
E todas as suas palavras ditas e as não faladas.
E só ouvi o amor. Só ouvi o bem. Parei para rezar e agradecer.
E fui beber a minha água sagrada, na matriz central,
Amar a Jesus Cristo e não pensar em nenhum mal, só agradecer.
Para cada facada nas costas, eu tenho um abraço,
Por mais amor em qualquer lugar e espaço,
Seus olhos não são azuis marinhos,
Mas são redondos e tão sozinhos,
Queria adotá-los como meus.
As armações de seus óculos combinam com seu rosto,
Rosto novo, pensamento envelhecido,
Como um bom vinho que deve ser bebido,
Depois de anos da sua colheita e fabricação,
Tentei entrar dentro da sua condição,
E sua condição às vezes é assustadora.
Nos seus braços de uma forma acolhedora.
E se você for um milagre? Quantos não enxergarão?
Precisarei citar a bíblia dentro da minha pregação?

“Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros,
porque o amor perdoa muitíssimos pecados. 1 Pedro 4:8”

E todo aquele garoto, tão novo e tão dedicado,
Acabou se tornando a besta celestial do pecado?
O anticristo que prega um pouco mais do amor,
Sobre todas as perspectivas e acima de toda dor?
Mais amor por favor! Mais amor por favor!
Seus olhos fazem milagres,
E como eu queria os seus olhos!
Você já é o vinho e me restabelece a visão,
Me faz andar sobre as águas e perder o chão,
Se isso é errado? Não entrarei nesta contradição,
Mas amar não é pecado quando se é um bom cristão.

By: Vinicius Osterer
Feito em 20 de Fevereiro de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário